entre a planície e o mar

Maio 16 2014

"escrevo-te

pelo corpo sinto um arrepio de vertigem

que me enche o coração de ausência pavor e saudade

teu rosto é semelhante à noite

a espantosa noite de teu rosto!

corri para o telefone mas não me lembrava do teu número

queria apenas ouvir a tua voz

contar-te o sonho que tive ontem e me aterrorizou

queria dizer-te porque parto

por que amo

ouvir-te perguntar quem fala?

e faltar-me a coragem para responder e desligar

depois caminhei como uma fera enfurecida pela casa

a noite tornou-se patética sem ti

não tinha sentido pensar em ti e não sair a correr pela rua

procurar-te imediatamente

correr a cidade duma ponta a outra

só para te dizer boa noite ou talvez tocar-te

e morrer

como quando me tocaste a testa e eu não pude reconhecer-te

apesar de tudo senti a mão sabia que era a tua mão

mas não podia reconhecer-te

sim

correr a cidade procurar-te mesmo que me afastasses

mesmo que nem me olhasses

mesmo que dissesses coisas que me

mesmo que

e ter a certeza de que serias tu depois a procurar-me"

 

Al Berto

publicado por ClaudiaLG às 14:20

Setembro 27 2013

remember?

publicado por ClaudiaLG às 12:23

Setembro 09 2013

"Eu haverei de erguer a vasta vida

que ainda é o teu espelho:

cada manhã hei-de reconstrui-la.

Desde que te afastaste,

quantos lugares se tornam vãos

e sem sentido, iguais

a luzes acesas de dia.

Tardes que te abrigaram a imagem,

música em que sempre me esperavas,

palavras desse tempo,

terei de as destruir com as minhas mãos.

Em que ribanceira esconderei a alma

pra que não veja a tua ausência,

que como um sol terrível, sem ocaso,

brilha definitiva e sem piedade?

A tua ausência cerca-me

como a corda à garganta.

O mar ao que se afunda."

publicado por ClaudiaLG às 20:54

Junho 11 2013

"como quem não quer a coisa

sem por nem dispor

fizemos curvas e contra-curvas

muitas subidas outras tantas descidas

nada de rectas

para chegar a destinos não traduzidos

em metas

 

Ocorreram turbulências

adjacentes evidências

que puseram a nu ainda mais a cru

todas as saliências

onde forçosamente permanecemos

sem ponderar que destecemos,

forças,

às gravidades que tememos

 

assim...

sem mais nem menos

nem adicionados nem subtraídos

entrámos no corpo desconhecido

cheios de sede e pouca rede

num passo tão mal medido

para o coração ainda bater escondido

 

Desta força de ansiedade

nunca levitámos, tão constrictos...

Se ainda nos sobrar saudade

deste sentir em sentido restrito

nunca esquecer, amor a sério

só daquele que se faz infinito."

 

Jorge Serafim

publicado por ClaudiaLG às 22:33

Abril 15 2013

 

... em que por mais que queiramos esquecer, por mais destruído que seja, algo nos mantém presos...

publicado por ClaudiaLG às 20:40

Março 19 2013

 

 

Santiago de Compostela, o destino de milhares de peregrinos e caminhantes, de católicos e pouco católicos, de desportistas ou simplesmente de gente em busca de respostas...

Insiro-me neste último grupo e é com este objetivo que, em agosto, vou pôr as minhas perninhas a mexer durante 113km em busca das tais respostas...

A acompanhar-me vão as duas melhores companhias: a S. porque é uma das pessoas com mais fé que conheço, porque nunca desiste, porque tem uma força desmedida, e a L. porque é sem dúvida um pilar do bem-estar e porque já passámos por tanto juntas que, caminhar, até Santiago deve ser das poucas coisas que nos falta.

A S., pela sua experiência e conhecimento de peregrina, está a planear até ao pormenor toda esta aventura e a nós só nos cabe treinar as perninhas e o corpinho para estarmos em forma até lá (esperemos que ele não nos falhe...). Quanto ao espírito, esse, passará durante esses dias por uma das maiores provações...

Sem dúvida que vai ser uma experiência e tanto!!

publicado por ClaudiaLG às 21:29

Março 01 2013

Ontem adormeci com as dúvidas e as questões de sempre a martelarem-me a cabeça...

E eis que as respostas me surgem em sonhos...

É engraçado que sempre que tento responder a tais perguntas, lá apareces tu nos meus sonhos para me esclareceres. Não que me digas diretamente as respostas, mas só o facto de apareceres sempre é o suficiente para eu perceber o porquê de tudo...

... e a saudade aperta....

publicado por ClaudiaLG às 11:22

Dezembro 31 2012

(...)

E então voltou para o pé da raposa e disse:
- Adeus...
- Adeus - disse a raposa. Vou-te contar o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos...
- O essencial é invisível para os olhos - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer.
- Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com aminha rosa... - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer.
- Os homens já se esqueceram desta verdade - disse a raposa. - Mas tu não te deves esquecer dela. Ficas responsável para todo o sempre por aquilo que está preso a ti. Tu és responsável pela tua rosa...

publicado por ClaudiaLG às 13:50

Novembro 21 2012

 

publicado por ClaudiaLG às 12:04

Setembro 20 2012

Já dizia Freud que os nossos sonhos são a satisfação de que os nossos desejos se realizem...

Depois de começar a estudar psicologia, percebi que me enquadrava muito pouco nas teorias de Freud, apesar de ter sido ele o ímpeto para seguir esta área de formação. No entanto tenho que concordar que os sonhos podem realmente dizer muito sobre nós, e até mesmo "falar" por nós mesmo quando somos incapazes de nos olhar ao espelho e dizer, a quem vemos, tudo o que pensamos e sentimos. E esta talvez seja uma das mais difíceis tarefas do ser humano, reconhecermo-nos ao espelho, assumir aquela imagem e acreditar em nós.

Por isso, os sonhos acabam também por ter esta função... dão-nos pistas sobre quem somos, sobre o que realmente sentimos, sobre o que nos faz feliz, sobre os caminhos que queremos e devemos seguir.

Quando acordamos de certos sonhos, só queremos esquecer que sonhámos tal coisa, seja por que motivos for, porque nos assustou, porque nos envergonhou, porque nos revelou... outra vezes, queremos voltar a adormecer depressa e voltar a abraçar aquela sensação maravilhosa do sonho que estavamos a ter, como se de realidade se tratasse...

Hoje acordei um pouco no meio destes dois estados... não que tivesse sido um sonho assustador, nem por isso; também não me envergonhou nem revelou nada que eu não soubesse... mas também não sei se queria voltar a abraçar tal emoção... É um "tema" recorrente nos meus sonhos e foi algo real e muito doloroso na minha vida. Mas é incrível como no sonho é sempre tão tranquilo... :) talvez continue a ser este o meu desejo...

publicado por ClaudiaLG às 23:05

muitos meses passados depois da chegada ao extremo sul do país...
mais sobre mim
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO